“O PROBLEMA DO MINHOCÃO É ESTRUTURAL”, AFIRMA FRANCISCO MACHADO, DIRETOR DO MDM – MOVIMENTO DESMONTE MINHOCÃO

Folha de São P

Um jornal a serviço do Brasil

quarta-feira, 27 de julho de 2016

Painel do Leitor

MINHOCÃO

Não sou fã de Paulo Maluf, mas concordo com sua opinião lamentando a troca de nome do elevado Costa e Silva para João Goulart. Caso essa lei ganhe abrangência nacional, espero que, por coerência, também sirva para renomear as ruas e avenidas Lênin, Ernesto Che Guevara ou Fidel Castro –e, muito pior, a rua Mao Tse Tung, em Serra (ES). Ou será que só os nomes ligados à direita merecem ser varridos para debaixo do tapete?

LUCIANO NOGUEIRA MARMONTEL (Pouso Alegre, MG)

*   *     *

Maluf qualifica como “revanchismo ideológico” a troca do nome do Minhocão. Enquanto no Rio e no Canadá os prefeitos decidiram eliminar o Minhocão local, reurbanizando e revitalizando os espaços, em São Paulo Fernando Haddad parece se dar por satisfeito em apenas fazer o troca-troca do nome da carcaça do famigerado elevado, perpetuando o problema que agride a saúde e a segurança de milhares de moradores da região.

FRANCISCO GOMES MACHADO (São Paulo, SP)

 ________________________________________________________________________________

NR: a propósito da mudança de nome do Elevado General Artur da Costa Silva para João Goulart, o MDM divulgou a seguinte nota.

MDM logotipo 1 (Copy)

“O PROBLEMA DO MINHOCÃO É ESTRUTURAL“,

AFIRMA FRANCISCO MACHADO,

DIRETOR DO MDM – MOVIMENTO DESMONTE MINHOCÃO

     Enquanto no Rio e em Montreal (Canadá), os Prefeitos decidiram eliminar o Minhocão local, fazendo belos Boulevards no lugar, em São Paulo, terceira maior metrópole do mundo, o Alcaide Haddad parece tender por apenas fazer troca-troca de nome da carcaça do famigerado elevado.

 

     O Minhocão foi imposto há 45 anos atrás, passando no meio de prédios residenciais, sem nenhum estudo de impactos ambientais, agredindo a saúde e segurança e milhares de moradores.

 

     Projeto já apresentado aos órgãos municipais competentes atestam que o Desmonte do Minhocão é obra sustentável, limpa, que se auto paga, sendo quase tudo reaproveitável.

 

     A pesquisa DataFolha aponta que 7% dos entrevistados são favoráveis ao Desmonte do Minhocão, caracterizando que todos são moradores da região. Os demais entrevistados eram meros transeuntes que não moram na região. Portanto, não sofrem os efeitos nocivos do Minhocão. 

 

Francisco Gomes Machado

Diretor do MDM – Movimento Desmonte Minhocão

Curti(0)Não Curti(0)

Link permanente para este artigo: http://www.minhocao.net.br/?p=40095