«

»

set 26 2017

Imprensa MDM

Imprimir Post

VEREADORES PARTICIPAM DE DEBATE NA TV CÂMARA E SE DECLARAM A FAVOR DO DESMONTE DO MINHOCÃO

TV Camara

Vereadores participam de debate na TV Câmara e se declaram a favor do Desmonte do Minhocão

Tv Camara 1

            Apresentador Felipe Brosco: Olá.No ar mais um Clipping Eletrônico, programa que debate as principais notícias da cidade de São Paulo. (…)

            Separei aqui, notícia que está no site da VEJA SP de hoje: “Câmara aprova projeto que prevê desativação do Minhocão. Segundo proposta, fechamento para carros será gradual e deverá durar quatro anos”

Por Sérgio Quintella

21 set 2017

             “A Câmara Municipal de São Paulo aprovou nesta quarta (20), em primeiro turno, o projeto de lei que prevê a desativação gradual do Elevado Presidente João Goulart, o Minhocão, principal ligação entre as regiões leste e oeste da cidade. (…)

              Segundo o projeto, após nove meses da regulamentação da lei, o local será totalmente fechado para carros durante as férias escolares, em julho, dezembro e janeiro. Após dois anos, o espaço terá restrição de circulação de carros entre 20h e 7h nos dias úteis.

               No ano seguinte, haverá a liberação de apenas um sentido por período. Por fim, após quatro anos de aprovação, o antigo Elevado Costa e Silva, inaugurado em 1970, será definitivamente fechado para automóveis. O cronograma poderá ser alterado após audiências públicas. A primeira vai ocorrer no dia 8 de outubro. (…)

               Para ter efeito de lei, a medida precisa passar por nova sessão de votação na Câmara – ainda sem data definida – e, caso seja aprovada, depende de sanção do prefeito João Doria”.

https://vejasp.abril.com.br/cidades/camara-aprova-projeto-preve-desativacao-minhocao/

TV Camara 2

“Eu acho que o Minhocão tem que acabar!”

“Eu acho melhor derrubar o Minhocão.

            Vereadora Soninha Francine: O projeto passou em primeira votação por 35 a 10 a 1 (abstenção) . Eu sou um dos votos NÃO. E pelo seguinte: eu acho que o Minhocão tem que acabar!

       O Minhocão é uma aberração urbanística. Imagina uma avenida qualquer, uma avenida normal, e aí você pega e passa um viaduto por cima dela, de fora a fora. É um absurdo que isso tenha sido feito. Mas numa era não tão distante e totalmente sepultada .

       De achar que grandes intervenções viárias são a melhor coisa a fazer por uma cidade. Se eu sou a favor da desativação do Minhocão, sim. Mas não nos moldes previstos por essa lei, ou previsto em lei. (…) Se a gente não der uma forçada de barra, a cidade nunca vai se preparar para isso. Vai sempre precisar daquela via expressa e não vai criar nenhuma via alternativa. É importante ter uma meta. É importante ter no horizonte essa idéia que o Minhocão é uma idéia errada.

        Inclusive o Plano Diretor prevê que será apresentada lei específica prevendo a desativação gradual do Minhocão. Isso vai ter que acontecer. Se bem que nem a metade do Plano Diretor a gente nem começou a rabiscar. Não sou contra a desativação do Minhocão . Acho que a gente tem que começar forçando a barra.

         Quem fechou o Minhocão por um determinado período foi Olavo Setúbal. A partir da meia-noite, porque o índice de acidentes graves no Minhocão de madrugada, era uma barbaridade. Depois a Erundina expandiu esse horário pensando também no sossego dos moradores. (…)

          E creio que sequer, eu tenho certeza, se vai criar um parque em cima do Minhocão. Eu acho melhor derrubar o Minhocão. (…) Porisso eu voto NÃO. Não para o Minhocão ficar um via expressa para sempre para automóveis.

TV Camara 3

“Estou mais favorável ao desmonte”

         Vereador Toninho Vespoli: Quando o Police Neto, que foi o autor do projeto , quando inclusive ele veio conversar até a mim, eu disse: Police, isso vai suscitar um debate muito grande na sociedade (…) vou assinar o projeto por conta que a sociedade civil possa se expressar e não só as pessoas que moram lá. Tem o impacto na cidade de São Paulo. Para que as pessoas possam se pronunciar. Ontem até votei a favor, meu voto pode ser o mesmo, mas pode mudar na segunda (votação). Porque?

          Depois da apresentação do projeto, houve várias audiências públicas aqui. E de certa maneira você percebe que existem pontos positivos daqueles que querem que faça lá um parque elevado e também tem pontos positivos daqueles que querem que desmonte o elevado.

          Então, uma das coisas positivas: se você desmontar o elevado, a própria desmontagem cobre os custos de desmontar o Minhocão. Porque ele é todo pré-moldado, é todo encaixado. Isso é ponto positivo.

          Teria outros pontos positivos porque você … quem passa ali no Minhocão percebe que ele é muito largo, relativamente baixo, você pega a poluição que passa por lá, fica tudo estocado na parte debaixo. Tem também um ambiente meio úmido também.

           Então, o desmonte tem essas partes positivas. E lá mesmo se desmontar, se pretende como se fosse um parque linear,que acho também uma idéia bem interessante. Hoje inclusive, depois das audiências públicas estou mais favorável ao desmonte.

           (…) Mesmo que ali seja uma aberração como disse a Soninha, e estou em total concordância, mas fazer um parque em cima (…) tem inconvenientes… imagina um parque na parte de cima, os moradores vão ter que conviver com o barulho dos finais de semana. Porque os parques vão ficar mais cheios nos finais de semana.

            Então, é um debate. Mas o mais importante de tudo isso é a sociedade poder falar. E estavam aguerridos os dois lados… O bom também é que ninguém quer deixar o Minhocão do que jeito que está. Inclusive na época, a CET fêz um estudo de impacto de todas as vias laterais ao Minhocão, que vieram na audiência pública, que essas vias iriam absorver o trânsito que passava pelo Minhocão. Isso é um estudo da CET.

            Apresentador Felipe Brosco: Lendo uma pergunta do Gilberto de Carvalho: “De onde virão os recursos para manutenção do novo parque. Qual o investimento para transformá-lo em parque? A Prefeitura não tem recursos nem para manter os já existentes”.

TV Camara 4

“Eu sou a favor da demolição hoje

            Vereador Caio Miranda Carneiro: Primeiro ponto: alternativa viária. Se provar que a desativação do Minhocão não vai inviabilizar o trânsito local , então a gente fala em desativação. A gente tem que ver os números. Não cabe achismo nenhum. Hoje são 60 mil veículos que passam diariamente ali (…) eu sou morador do bairro, portanto, eu já sei que quando você desativa uma via importante dessa, as pessoas vão usar os aplicativos e andar pelo bairro.

            Uma vez superada a questão viária, transformar em parque é bonito na idéia. A gente tem mais de 100 parques na cidade de São Paulo. Todos com problemas de manutenção, excepto alguns que pontualmente já estão com gestão terceirizada ou porque são vitrines. Mesmo o Ibirapuera tem problemas de gestão. Então, um parque daquela extensão, você vai ter vários tipos de de problemas: rolezinho, consumo de drogas, manutenção etc.

             É uma extensão enorme que eu acho que a gente não tem braço para conta daquele tamanho. E a questão que o Toninho falou é fundamental: do ponto de vista ambiental, os veículos que passam embaixo, a fumaça fica concentradíssima embaixo. Então a realidade embaixo do Minhocão é de treva.

              Então são várias etapas do debaixo. Não acho que a lei não é o instrumento apropriado, para pressionar o Executivo, com prazo que é complicado. Isso se não for vetado. Mas o debate é importante. Então, primeiro a questão viária, depois a viabilidade de parque… financeira, de gestão… e se mantém ou demole. Eu sou a favor da demolição hoje. Mas posso mudar, se demonstrarem para mim que é melhor (parque).

            Vereadora Soninha Francine: (…) É gostoso imaginar que não teria o Minhocão e nem os carros impactando as vias (…).

            Vereador Toninho Vespoli: Tem países em que no centro expandido não entra carro. De repente isso pode chegar até nós e realmente o Minhocão não fazer mais nenhum sentido.

            Apresentador Felipe Brosco: Tem bastante participação dos telespectadores. Tem uma aqui para o Vereador Caio, do José Heron: “simples e objetivo. Tem meu respeito”. Fazendo um elogio aí ao Sr, Vereador.

            Vereador Caio Miranda Carneiro: Só para dar um número, a Organização Mundial da Saúde, ela tem uma tabela, ela diz que acima de 75 decibéis, com exposição diária de 8 horas, você tem perda irreversível da audição. Os ônibus hoje emitem mais de 90 decibéis. É criminoso nosso status quo: ônibus, caminhão, moto. (…)

            Vereador Toninho Vespoli: (…) Eu falava isso da gestão Haddad e acho isso da gestão Dória. Mudanças não tem problema que se façam mudanças, mas desde que haja um diálogo com a comunidade. No governo Haddad e estou vendo no governo Dória, eles pecam muito nisso.

            As mudanças vem de cima para baixo, sem antes um diálogo com a comunidade. E a falta de diálogo é que vai gerando conflitos maiores do que nós poderíamos ter. (…)

            A discussão sempre foi ter uma relação mais próxima executivo/legislativo. Doria fêz essa proposta e está vindo aqui uma vez por mês, uma vez cada mês e meio, dois meses, aqui na Casa. Eu fui as três primeiras, mas parei de ir.

            A gente fica sabendo das questões, via jornal. Nas reuniões que tivemos com o Prefeito, (…) e o Prefeito ao invés de trazer as propostas para a gente escutar, e até debater melhor com ele, é muito mais importante do que a gente ficar sabendo pela grande imprensa. (…)

            A gente é quase um apêndice da democracia. É como eu me sinto. A gente faz um pedido de informação para qualquer secretaria, o certo é receber daqui a 60 dias. Vem depois de 90 dias, e não vem a resposta do que você perguntou. É uma enrolação”. (…)

https://www.youtube.com/watch?v=iomzZH4aNBQ

 

Comentários de Internautas

Armando

          O elevado deve ser demolido – mesmo fechado ele impacta consideravelmente as condições do entorno e cria uma barreira urbanistica entre os bairros vizinhos.

          Com sua demolição é possível voltar a ter um belo boulevard no canteiro central das ruas e avenidas, com arvores, viadutos e espaços de convivência publica (e.g. praça marechal deodoro)

Márcia Moraes Dino de Almeida

           Sou contrária ao uso da estrutura para parque e tenho fundamentação técnica como Urbanista para essa posição e gostaria de ser ouvida sobre o assunto, que é mais sério do que fazem crer o lobby do parque e sua argumentação superficial e leviana, eivada de interesses ulteriores ao bem estar da população local e da qualidade do uso do espaço urbano.

http://www.camara.sp.gov.br/blog/camara-realizara-audiencia-para-discutir-fechamento-do-minhocao/

Yanni Gemissi Parabéns pelo texto Roberto Laranjeira ! Muito bom e verdadeiro , se for o caso , lugar de parque é no chão !!!

Hussein Rimi Minhocão no chão!

Dinah Piotrowski Fora Minhocão!

Valter Caldana : A Câmara aprovou a manutenção do minhocão na cidade. Mudou a mosca mas manteve a estrutura falida, próxima do colapso, destruidora do ambiente urbano e da qualidade de vida ao seu redor, desarticuladora do centro e da metrópole. (…) Valter Caldana

Sergio Faria Tem que derrubar essa excrescência malufista.

Roberto Laranjeira Navalha que continua encravada no centro de São Paulo. Enquanto não for removida continuará causando danos mortais a toda região. Danos irreparáveis ao patrimônio histórico da cidade de São Paulo. #minhocão_no_chão = #parque_no_chão

Roberto Laranjeira  São Paulo

 

Porque defendo o desmonte do minhocão:

  1. A ESTRUTURA ESTA CONDENADA PARA O USO QUE FOI PROJETADA
  2. Especialistas em transito através de estudos já realizados, afirmam que, o viaduto além de dispensável ao sistema viário da cidade de São Paulo atua como um gerador de transito. Ao contrário do que muitos imaginam, estudos recentes apontam a diminuição da frota de automóveis no mundo. Isto se deve a internet através de atendimentos e vídeo conferencias online, transporte compartilhado, incentivo, conscientização e melhoria em vários outros meios de locomoção. 3. A estrutura deste viaduto jamais recebeu a manutenção necessária e isto causou deterioração acelerada. Facilmente constatado no local, infiltrações, trincas, rachaduras e ferragens expostas colocam em risco a vida de motoristas e pedestres diuturnamente.  4. Qualquer projeto para preservação deste equipamento exigira soma vultuosa para sua reforma e adaptação. Além de perpetuar eternamente o empenho de recursos do município em sua manutenção. 5. Trata-se de construção em total desrespeito às normas relativas ao recuo e limites entre construções, previstas nas leis de zoneamento da Prefeitura da Cidade de São Paulo. 6. A falta de recuo transforma a parte inferior desta construção em uma verdadeira câmara de gás. O gás quente dos escapamentos sobe, bate no teto da estrutura fria e desce em forma de fuligem. Uma agressão constante aos que moram ou transitam pela região. 7. O barulho em baixo do minhocão é ensurdecedor. Várias mídias já tentaram entrevistar pessoas no local, missão impossível. A estrutura em forma de caixa, causa reverberação dos ruídos a níveis insuportáveis. Para comprovar é só medir os decibéis em qualquer hora do dia ou da noite. 8. As colunas que sustentam o viaduto, obstruem o transito de bicicletas e pedestres na ciclovia implantada no local. O uso de bicicleta e incentivo a caminhada tem fundamental importância na redução de transito e poluentes na região assim devem ser priorizadas. 9. As alças do viaduto ocupam, mutilam e desfiguram várias praças, largos e larguinhos num eixo extremamente carente de áreas verdes. Largos que mantinham exemplares da fauna e flora da Mata Atlântica foram esmagados pela construção desta estrutura, criando espaço inclusive para implantação de garagem de ônibus. Troca injusta, não?  10. Em relação a recuperação urbanística da região, hoje densamente povoada e transitada encontra-se em estado de abandono. O desmonte do viaduto devolverá a região suas características originais. Um eixo com beleza arquitetônica já atestada pelo município com várias edificações em processo de tombamento pelo patrimônio histórico. A região não necessita de atrações ou investimentos para fomentar sua ocupação ou frequência, a retirada da estrutura devolvera a ótima qualidade de vida antes compartilhada pela população. 11. Em relação ao fenômeno “ilha de calor” e todas as consequências negativas, tem como causa principal estruturas como esta. Absorção de calor e solo impermeabilizado afetam toda cidade. Secas, falta de umidade relativa no ar e as enchentes causadas por grandes volumes de chuva em pouco espaço de tempo, tem causado enormes prejuízos nos últimos anos. Se nada for feito no momento em relação a estas estruturas, os nossos problemas tendem a se agravar muito. 12. Com a remoção da estrutura, abre-se espaço no canteiro central e calçadas das avenidas para o replantio de mais de 1500 arvores nativas da Mata Atlântica, criando assim um longo corredor verde interligando parque, praças, largos e larguinho. Um avanço gigantesco em relação a recuperação e preservação do ecossistema na região central de São Paulo. 13. O desmonte do viaduto devolverá aos moradores que tem hoje suas janelas e varanda invadidas por automóveis, bandidos e curiosos os seus direitos a luz do sol, silencio, ar apropriado e privacidade devolvidos e respeitados. 14. A cidade terá resgatada parte de sua história, a Avenida São João tem sua importância histórica retratada em versos e prosas. Já foi e continua sendo, importante polo cultural de nossa cidade. Os mais tradicionais cinemas, teatros, cafés e restaurantes estavam nesta área. A região tem no seu DNA cultura, gastronomia e turismo, atrações maravilhosas enterradas atualmente por um equipamento imposto e mantido de maneira irresponsável e equivocada. 15. A remoção da estrutura e o restabelecimento de condições mínimas de salubridade nos baixos do minhocão, trará de volta a região, comerciantes e investimentos para ocupar centenas de imóveis simplesmente fechados ou até abandonados. 16. Em relação a cobrança por um projeto para o desmonte do minhocão gostaria de levar a discussão para as faculdades de Engenharia e Urbanismo e ter uma posição mais concreta. 17. Em relação aos possíveis impactos no transito com a remoção do viaduto João Goulart, preocupação principal da maioria dos motoristas paulistanos, é fundamental a opinião de especialistas. Recomendo este vídeo com Sergio Ejzenberg, autoridade em segurança no transito e anos atuando na organização do transito de São Paulo. https://youtu.be/7ojupsKmEk4 18. Gostaria que os simpatizantes e defensores da permanência do viaduto condenado, apresentassem argumentos embasados em fatos reais. Não bastam desenhos utópicos inspirados nos Jardins suspensos da Babilônia, a discussão é muito mais complexa. Envolve falsas compensações ambientais, orçamento municipal, recuperação do ecossistema, saúde pública, segurança pública, especulação imobiliária e interesses particulares.  19. Independentemente de sua posição em relação ao “minhocão” exponha seu argumento ou preocupação. O debate público é fundamental na construção de uma cidade com boa qualidade de vida para todos.  20. Que cidade queremos para o futuro? 21. Arvore derrubada se compensa com arvores replantadas. O resto é “fake”.

 

Heck Carlos Henrique Heck ABAIXO O MINHOCAO DE FIO A PAVIO ( DO LARGO PADRE PERICLES ATE PRAÇA ROOSEVELT)

Filippo Guasti Minhocão no chão

https://www.facebook.com/groups/714450381958504/

http://www.minhocao.net.br/

https://www.facebook.com/movimentodesmontedominhocao/

[email protected]

 

 

 

Curti(0)Não Curti(0)

Sobre o autor

Imprensa MDM

Imprensa MDM

Link permanente para este artigo: http://www.minhocao.net.br/?p=40552