mar 21 2018

Imprensa MDM

O legado de J. Agripino Dória Jr. para a área central de São Paulo: “parque aquático” e “cascatas” do Minhocão

Desmonte MDM log

 O legado de J. Agripino Dória Jr. para a área central de São Paulo:

parque aquático” e “cascatasdo Minhocão

Parque auático Minhocão

     O Prefeito J. Agripino Dória Jr., descumpriu o que afirmou em várias entrevistas e assinou documento do Site Catraca Livre, de que caso eleito, permaneceria no cargo pelos 4 anos.

     Ao abandonar a Prefeitura para tentar se eleger Governador de São Paulo, qual o legado que ele deixa na área central de São Paulo?

     Ao invés de acompanhar o exemplo da tendência mundial de grandes capitais mundiais, tais como Boston, Lyon, Seul, Rio, Barcelona, Montreal etc – de eliminar viadutos – paliativo que apenas transfere engarrafamento de um local para outro – e assim desmontar o Minhocão, fazendo em seu lugar belo e turístico parque/Boulevard, revitalizando e requalificando os 2 kms e 800 metros por onde passa, restaurando o comércio etc, Dória, não ouvindo as associações e lideranças comunitárias e os milhares de moradores-eleitores vítimas do famigerado elevado, resolveu perpetuar o Minhocão do Maluf, decretando a insanidade de “Parque Municipal Minhocão”.

Desmonte coluna enferrujada 1

Desmonte coluna enferrujada

     Insanidade ao pretender parque a 8 metros de altura, na velha e inóspita estrutura de asfalto e concreto de 46 anos atrás, com mais de 1.500 pontos de infiltração e que quando chove, em cima alaga em vários pontos, formando o que os moradores chamam de “parque aquático Minhocão” e embaixo, as trincas em sua estrutura dão lugar as “cascatas do Minhocão“. Veja o vídeo enviado por moradora. ATENÇÃO: água poluída imprópria para banho e consumo…           https://youtu.be/KqFE2lPTRCs

     Forçou assim os munícipes a conviver com essa aberração urbanística, no meio das poluições atmosférica, sonora, visual, sem falar na falta de segurança, invasão de privacidade e incomodidade insuportável.

     Eis aqui o legado deixado por João Agripino Dória Jr. na área central de São Paulo: a perpetuação do famigerado Minhocão do Maluf, com todos os problemas, gastos e reclamações que provoca essa aberração urbanística. Assim, ao perpetuar esse monumento de feiura, sepultou de vez seu marqueteiro projeto de “Cidade Linda”.

Curti(1)Não Curti(0)

Link permanente para este artigo: http://www.minhocao.net.br/?p=40804

mar 13 2018

Imprensa MDM

Prefeitura autoriza Parque Minhocão, mas moradores sonham com demolição do elevado

Carta Capital 10

Carta Capital capa

TERÇA-FEIRA, 13 DE MARÇO DE 2018

Sociedade

Novo parque

Prefeitura autoriza Parque Minhocão,

mas moradores sonham com demolição do elevado

por Rafael Carneiro — publicado 02/03/2018 11h57

Prefeito João Doria sancionou lei que cria parque,

mas vetou possibilidade de demolição da via, prevista no Plano Diretor

Beto Laranjeira

  Quando criança, Roberto Laranjeiras viu o Minhocão ser construído

          Entre pianos, relógios, móveis e outros tantos objetos, Roberto Laranjeiras, 43 anos, administra com esmero seu antiquário, na avenida São João, no centro de São Paulo. Adora o que faz e não se importa em ter a companhia diária de suas antiguidades. Quem o incomoda mesmo é o vizinho Elevado João Goulart, popularmente conhecido como Minhocão. Laranjeiras, que viu a construção ganhar forma, não vê a hora de ela ser demolida.

          “Minha família chegou aqui um ano antes da construção dele e acompanhei de perto a destruição da qualidade de vida nessa região. Eu, que só trabalho aqui, também sofro com isso. Percebo que minha audição piorou muito, por exemplo”, afirma o comerciante. Ele possui uma característica comum de quem trabalha nos arredores do Minhocão: falar alto.

          Atualmente, Laranjeiras vive na Pompeia, zona oeste, mas sua mãe continua morando no apartamento acima do antiquário, a poucos metros da via elevada. A matriarca instalou até vidro duplo para atenuar a poluição sonora, mas de nada adiantou.

          No dia 8 de fevereiro, o prefeito João Doria (PSDB) sancionou a lei que cria oficialmente o Parque Minhocão, porém vetou a possibilidade de demolição do elevado, prevista no Plano Diretor da cidade.

          O texto aprovado por Doria diz que, em até dois anos, a prefeitura deve apresentar um Projeto de Intervenção Urbana (PIU), elaborado com participação popular.

          Com a manutenção da via elevada, há apenas duas possibilidades para a área: a transformação parcial ou integral dela em parque. Propostas para o entorno do parque e instrumentos para controle da valorização imobiliária também deverão constar no PIU.

          “O parque não é bem-vindo para mim porque ele não vai resolver os maiores problemas, que estão embaixo do Minhocão, como a alta concentração de poluentes e o barulho intenso. Se tirasse o viaduto, os poluentes se dispersariam mais rápido. Eu sou favorável sim a um parque na parte inferior, com muitas árvores”, defende Laranjeiras.

          Dados do Laboratório de Poluição Atmosférica Experimental da Faculdade de Medicina da USP, obtidos pelo site Conexão Planeta, mostram que os ruídos medidos na região em todos os horários estão acima do limite recomendável pela Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo), que é de 55 decibéis.

          Além disso, o levantamento aponta que os vizinhos do Elevado João Goulart respiram 79% de poluição a mais que a média da cidade. Os maiores responsáveis por isso seriam os ônibus que circulam abaixo da via, que acaba funcionando como um “tampão”. (…)

          Futuro

          Há sete anos, Mariana Martins, 34 anos, trocou Guilhermina Esperança, na zona leste da capital, por Campos Elíseos, um dos bairros cortados pelo Elevado João Goulart.

          Em pouco tempo, ela e o filho Vinicius se viram obrigados a conviver com a rinite alérgica. “A poluição aqui é constante e o Minhocão contribui muito para isso”, afirma.

          Usuária da via aos finais de semana, quando o local é fechado para os carros, e preocupada com o futuro daquela área, a jovem resolveu agir e chamou os moradores para discutir o que será feito daquela que é considerada uma das obras mais feias e agressivas de São Paulo.

         Um dos questionamentos que Mariana apresentou no primeiro bate-papo foi sobre o projeto de lei aprovado na Câmara Municipal e sancionado alguns dias depois por João Doria.

          “Esse decreto é um problema, mas considero uma pequena vitória a inclusão do PIU, o que aconteceu após várias reuniões com os vereadores autores do PL. Já retirar o desmonte do texto foi ilegal. Ele está no Plano Diretor”, ressalta.

          “Agora é insistir para que o PIU seja realmente apresentado. Há muitas questões que precisam ser respondidas. Qual é o projeto para a parte de baixo do Minhocão? Qual será o orçamento destinado para a Secretaria do Verde e Meio Ambiente para a construção do parque? Queremos estudos de saúde, de ruído, de quanto será gasto. O aluguel do comerciante vai aumentar? Ele vai conseguir se manter?”, questiona a moradora, que deseja ver um projeto completo, contemplando não somente as questões ambientais, mas também sociais. (…)

     “Queremos que esse debate não acabe. Quem sabe um dia aqui não vira um lugar ainda mais agradável, com uma extensa área verde integrada ao cotidiano dos moradores? Já imaginou se as pessoas que moram no bairro pudessem colocar suas cadeiras na porta de casa, como acontece no interior?”, finaliza a moradora.

https://www.cartacapital.com.br/blogs/32xsp/prefeitura-autoriza-parque-minhocao-mas-moradores-sonham-com-demolicao-do-elevado

*     *     *

Internautas comentam matéria do G1,

sobre a atitude do Prefeito Dória em querer perpetuar o Minhocão do Maluf,

com o sério risco de se tornar uma Cracolância Duplex.

g1

Minhocão passa a fechar aos sábados

e 1h30 mais cedo durante a semana

Por G1 SP

08/02/2018

  • Carlos Zarzur

          Tem próximo Parque da Água Branca, Praça Buenos Aires, Praça da Republica, Parque da Luz e, se gostarem de locais áridos, Memorial da América Latina

 

Yutaka Saiki

          Se construírem um parque, vai ser um local para os “nóias” ficarem usando drogas, o melhor é colocar abaixo o minhocão.

Francisca

          Já é….tanto em cima como embaixo.

 

Leonardo Sampaio

          Poderiam demolir e fazer um parque arborizado ! Falta verde no Centro de SP . Seria ótimo para as famílias que moram por lá.

 

Carvey Costa

          Desde que se construa um túnel com a mesma extensão e largura do minhocão sob esse parque arborizado

 

Manoel Nóbrega

          Trocar os nomes históricos, e portanto verdadeiros, por nomes de quem subverteu, corrompeu e destruiu o nosso país, é uma afronta à cidadania.

 

VER MAIS COMENTÁRIOS

    • Renato Amaro
    • O pior é que já existia uma avenida joão goulart em Interlagos.

Penhaman

          Deveriam implodir essa inutilidade que deteriorou o centro de sp. 

          Investir no metrô, criar mais estações e linhas do centro aos bairros mais distantes, até cidades vizinhas, etc… Parece não haver a mínima boa vontade desses sanguessugas que estão no poder.

 

Roberto Gorios

          FAZER DO MINHOCÃO UM PARQUE É COISA DE LOUCO.

          ESSE ELEFANTE BRANCO QUE FOI CONSTRUÍDO NA DÉCADA DE 70 TEM QUE SER DEMOLIDO E REVITALIZAR TODA AQUELA REGIÃO QUE FOI DETERIORADA PELA CONSTRUÇÃO DESSE ELEVADO.

          TOMARA QUE OS VEREADORES PAULISTANOS QUE AMAM VERDADEIRAMENTE ESTA CIDADE NÃO APROVEM ESSE ABSURDO DE FAZER DO MINHOCÃO UM PARQUE.

          ISSO TEM QUE SER DEMOLIDO,

         REPITO: DEMOLIDO.

 

Fábio Corrêa

          Deveriam derrubar esse negócio que o “Santo” Maluf construiu na época da ditadura, onde não existia corrupção kkkkk, pra chegar da casa dele na empresa dele Eucatex.

 

Carvey Costa

          Não sei o que o Doria está esperando para voltar o nome de quem construiu o Brasil e não quem destruiu o Brasil

 

Shop Usados

          O problema ali são os nóias e bandidos armados, sem segurança, é o caos.

 

Marcos Almeida

          Arrependido.

https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/prefeitura-decreta-criacao-do-parque-minhocao-restricao-de-veiculos-sera-gradativa.ghtml

Curti(1)Não Curti(0)

Link permanente para este artigo: http://www.minhocao.net.br/?p=40794

fev 13 2018

Imprensa MDM

“O prefeito vetou a possibilidade de desmonte (do Minhocão). Além de ilegal (está prevista, como possibilidade, no PDE)”, afirma Nabil Bonduki

email dos leitores log

O MDM tem uma notícia para você

Folha de São P

São Paulo, 13 de fevereiro de 2018

Carnaval de rua e Minhocão mostram uma cidade para as pessoas

Nabil Bonduki

nabil Bonduki

          Em meio a tanta notícia ruim, os paulistanos têm algo para comemorar: a consolidação do carnaval de rua e o avanço no fechamento do Minhocão para os automóveis. (…) 

          São Paulo inovou com o PDE (Plano Diretor Estratégico) de 2014 e com políticas públicas nele inspiradas, que apontam para uma nova cultura urbana. (…)

          O PDE estabeleceu que o elevado, uma excrescência viária, deve ser desativado para o tráfego até 2029 e que uma lei definiria seu destino entre a transformação em parque ou o desmonte. (…)            

          Lei de iniciativa do Legislativo, sancionada por Doria (…) deu prazo de dois anos para a prefeitura elaborar um PIU (Plano de Intervenção Urbana) para a área.   

          Equivocadamente, o prefeito vetou a possibilidade de desmonte.

          Além de ilegal (está prevista, como possibilidade, no PDE), essa alternativa não pode ser descartada de antemão, devendo ser estudada e debatida no PIU. (…)

           Nabil Bonduki

 Arquiteto e urbanista, é professor da FAU-USP. Em São Paulo, foi vereador, relator do Plano Diretor Estratégico e secretário municipal de Cultura. É autor de 12 livros. Escreve às terças-feiras.

https://www1.folha.uol.com.br/colunas/nabil-bonduki/2018/02/carnaval-de-rua-e-minhocao-mostram-uma-cidade-para-as-pessoas.shtml?loggedpaywall#_

O Projeto de Lei sancionado pelo Prefeito João Agripino Dória Jr.

NR: os que desejarem podem solicitar o documento pelo email 

[email protected]

Doria aprova PL Police

Algumas repercussões na internet.

Paulo Henrique Camilo da Silva

          Um absurdo fechar o elevado por tanto tempo e nos finais de semana, 

eu votei nesse cara pensando que ele tinha aposentado essa idéia do Haddad, 

são todos iguais.

 

Vinícius Jareño Aarão – São Paulo 

          Vai estragar a região! 

          Vai se tornar a nova Cracolândia… 

          A violência vai subir absurdamente. 

          A região já é mal iluminada e cheia de usuários de crack 

que se espalharam pelo centro devido as ações desse prefeito. 

           Vai se tornar moradia pra essa galera toda.

https://www.terra.com.br/noticias/brasil/cidades/doria-autoriza-criacao-do-parque-muncipal-do-minhocao,d15c159f1c10305b8d2e5f9ddd3eb6eawamjtngd.html

Virna Alexandre

          Em vez de tratar dos moradores de rua, ficam inventando essas bobagens. 

          Aí os assaltos vão piorar. 

          Não vejo como haver valorização imobiliária. 

          Vai acabar virando uma favela.

 

Thiago Rapaci

          Só falta colocar policiamento lá… 

          um furto a cada 3 minutos.

 

Nico

          Que porcaria. 

          Esse vai ser o futuro parque Cracolandia..

          parabéns Prefeito!

 

http://casavogue.globo.com/Arquitetura/Cidade/noticia/2018/02/minhocao-sera-fechado-para-veiculos-aos-sabados-e-transformado-em-parque.html

 

Dalma Dias

          Vi a materia no SPTV tbm e alem de achar desonestas as alegaçoes do cara pró parque (de q os apartamentos sao pequenos e falta lazer nos arredores – enormes mentiras, visto q ate os aptos kitnet sao amplos e oq NAO FALTA é opçao de lazer por aqui), 

          achei péssimo q só chamaram quem era a favor. 

          Vcs nao foram chamados pra dar entrevista sobre a decisao?

 

          NR: o MDM – Movimento Desmonte Minhocão – não foi contactado para participar, democraticamente, do SPTV. 

          Sua Diretoria e membros sempre estiveram dispostos a conceder entrevistas,  

participar de programas e debates, quando convidados.

          O que lamentavelmente não ocorreu no mencionado SPTV, que apresentou uma visão unilateral, caolha e esquecendo que o bom jornalismo sempre procura ouvir as duas partes. 

 

Daniel Moreno: 

          Altos interesses por trás desse parque, hein. Muito militante profissional louco pra arrumar mais um lugar pra fazer proselitismo político. E o Doria sem perceber (ou fingindo que não percebe).

 

Carla P. Bergamo: 

          a cadeia do Maluf poderia ter sido num dos prédios bem do ladinho do minhocão.

Professor  Bonifácio 

          A cidade está cada vez mais suja, com parque ou sem parque a cidade só piora.

Wilson Bonifácio 

          Verdade Daniel , o elevado Costa e Silva  ( recuso-me a usar o novo nome) está um lixo.

          Várias áreas da cidade estão assim. Na Av Radial Leste, entre a garagem do metrô no Belém e o viaduto Bresser há uma favela que cresce todos os dias. O lugar é perigosíssimo devido ao trânsito pesado que passa por lá. Ninguém consegue fazer a remoção porque o lobby do padre Lancelotti é forte. Estão esperando uma tragédia.

Daniel Moreno 

          O projeto de desmontar já existe: Movimento Desmonte do Minhocão

Alê Straub 

          Desmontar seria outra opção. Como está não dá

Raquel Costa 

          acho que dá pra entrar com o MP pela ausência de audiências públicas sobre o projeto que impacta para os moradores.

Daniel Moreno 

          S.Paulo tem dezenas de parques, a maioria deles entregue à vadiagem e prostituição. 

          Cidade nenhuma precisa que o poder público gaste 150 milhões do contribuinte para supostamente “estimular” o comércio. 

          Quem estimula o comércio é rua segura, limpa, com vaga de estacionamento. 

          E isso tudo o estado é incapaz de proporcionar.

Daniel Moreno 

          Sim, e a solução foi proposta pelas pessoas, não pelo estado: desmontar o Minhocão, vender as vigas por 20 milhões de reais, e deixar a região florescer, sem a intervenção do estado. 

          Estado incapaz de varrer 5 km não tem autoridade pra criar um parque suspenso de 5km em cima da região que não varre, é bem lógico isso.

Daniel Moreno 

          O projeto de desmontar já existe: Movimento Desmonte do Minhocão

https://www.facebook.com/danielmoreno.movies/posts/1421584377969433?comment_id=1421634967964374&reply_comment_id=1421785151282689&ref=page_admin_newsletter&page_id=1514854288801240

 

http://www.minhocao.net.br/

 ttps://www.facebook.com/movimentodesmontedominhocao/

[email protected]

Curti(0)Não Curti(0)

Link permanente para este artigo: http://www.minhocao.net.br/?p=40790

fev 09 2018

Imprensa MDM

João Agripino Dória perpetua Minhocão de Maluf – Protesto do MDM repercute na mídia

OESP log mini

Minhocão passa a fechar aos sábados 

e 1h30 mais cedo durante a semana

Doria sanciona lei que restringe horário de funcionamento do Elevado,

veta hipótese de demolição da via e cria Parque Municipal do Minhocão

Juliana Diógenes,

O Estado de S.Paulo

08 Fevereiro 2018

     O prefeito de São Paulo João Doria (PSDB) sancionou nesta quinta-feira, 8, uma lei que prevê em até 30 dias o fechamento do Elevado Presidente João Goulart, no centro de São Paulo, aos sábados o dia inteiro.

     Com a nova regulação, fica estabelecido também, em 90 dias, o bloqueio mais cedo durante a semana – às 20 horas, no lugar de fechar às 21h30, como ocorre atualmente. A via também passará a abrir às 7 horas e não mais às 6h30.

     Na lei aprovada nesta quinta, Doria vetou o fechamento, dentro de seis meses, nos meses de janeiro e julho, coincidindo com as férias escolares. A sanção foi publicada no Diário Oficial da Cidade desta quinta. (…)

Antes da alteração feita em 2015, o elevado era aberto para lazer somente aos domingos. De segunda à sexta, o tráfego no Minhocão já ficava fechado à noite (21h30 às 6h30).

Na justificativa para o veto, a Prefeitura argumenta que estudos técnicos da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) ainda impedem o fechamento total para trânsito mesmo que somente no período de férias escolares. 

     “A redução do fluxo de veículos nessas épocas é de apenas 30%” – justifica a gestão Doria -, “insuficiente para diminuir significativamente os congestionamentos na cidade, tanto que boa parte das principais vias arteriais da malha continua operando próximo a seus limites de capacidade”. (…)

Demolição

     O Plano Diretor do município prevê que, em 20 anos, uma nova destinação para a estrutura tem de ser apresentada (seja o desmonte ou a criação de um parque). Mas no texto aprovado, o prefeito também vetou a possibilidade de demolição do Elevado. 

     A exclusão do item que previa estudos sobre a derrubada da estrutura irritou integrantes do Movimento Desmonte Minhocão (MDM). Para o diretor do grupo, Francisco Machado, o veto é um absurdo” “e atentatório à saúde e à segurança pública“.

     “O desmonte é um progresso.

      O Minhocão é considerado uma aberração urbanística porque passa no meio de prédios residenciais, provocando problemas de segurança, invasão de privacidade e incomodidade insuportável aos mais de 200 mil moradores dos quatro bairros por onde passa, diz Machado.

     Em dois anos, a administração municipal terá de apresentar um projeto de intervenção urbana (PIU). Neste estudo, somente duas hipóteses de destinação da área serão previstas: as transformações parcial e integral em parque.

     O PIU criará ainda propostas para a área ao redor do parque, e ainda instrumentos de controle e captura da valorização imobiliária decorrente das intervenções que serão feitas na região. 

     Do projeto de lei original, também foi rejeitado o item que determinava aplicação de transferência de R$ 100 mil de verba de publicidade da gestão para a Secretaria Municipal de Verde e Meio Ambiente em caso de descumprimento das obrigações e prazos da lei. 

Haddad

     Em março de 2016, o então prefeito Fernando Haddad (PT) já havia sancionado uma lei que criava o Parque Minhocão quando a estrutura estivesse fechada para veículos. 

     Na prática, a Prefeitura passou a se comprometer com a execução de serviços garantidos a parques da capital paulista, como varrição e segurança. Também foi recomendada a formação de um conselho gestor constituído por moradores da região para a criação de regras previstas para um parque. 

     Na ocasião, Haddad disse que a discussão sobre a demolição da via era “precipitada”  porque o debate não estava suficientemente amadurecido.

http://sao-paulo.estadao.com.br/noticias/geral,minhocao-passa-a-fechar-aos-sabados-e-1h30-mais-cedo-durante-a-semana,70002182839

*     *     *

Folha de São PFolha Quotidiano

Minhocão passará a fechar mais cedo e durante o sábado inteiro

Doria  promulga lei que prevê transformação gradual em parque

8.fev.2018

Artur Rodrigues

São Paulo

     (…) O prefeito, porém, vetou artigo que possibilitaria que o espaço passasse a funcionar, em curto prazo, como um parque de maneira permanente. Por exemplo, o trecho que previa fechamento da via para carros nas férias escolares, em janeiro e julho, ficou de fora da nova legislação.

     Doria justificou que estudos técnicos da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) chegaram à conclusão de que a via não pode ser desativada até que “se proceda às melhorias no sistema viário a ser impactado em decorrência da desativação da via elevada em questão”. (…)

     Agora, a prefeitura terá de apresentar um PIU (Projeto de Intervenção Urbana), para detalhar o futuro do plano de transformar o Minhocão em parque, dentro do prazo de 720 dias.

     Os únicos pontos previstos são a transformação total ou parcial em parque. Foi vetada a possibilidade do desmonte total da estrutura, o que é motivo de polêmica.

     Enquanto há grupos favoráveis à transformação da estrutura em parque, há pessoas que cobram a retirada da estrutura da região.

     O grupo Desmonte Minhocão emitiu nota afirmando que Doria “perpetua monstrengo do Minhocão, imposto pelo [Paulo] Maluf”.

    O grupo afirma que a lei é um crime contra os moradores da região e que o Minhocão tem problemas de segurança, com mais de 1.500 pontos de infiltração”.

     Já Associação Parque Minhocão comemorou a medida. “Para nós é um super avanço”, diz o empresário Athos Comolatti, 63.

     O empresário afirma que o fato de ter se tornado oficialmente um parque deve facilitar a conquista de melhorias na infraestrutura do espaço, como a eventual colocação de banheiros, por exemplo.

https://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2018/02/minhocao-passara-a-fechar-1h30-mais-cedo-e-durante-o-sabado-inteiro.shtml

Curti(0)Não Curti(0)

Link permanente para este artigo: http://www.minhocao.net.br/?p=40787

fev 09 2018

Imprensa MDM

Doria discrimina lideranças comunitárias e moradores e perpetua Minhocão de Maluf

Doria discrimina lideranças comunitárias,João Dória 2 moradores e perpetua Minhocão de Maluf

 

          Em Brasília desaba viaduto sem manutenção.

M4

          Em São Paulo, o Minhocão tem mais de 1.500 pontos de infiltração. Desde 2011 está sem manutenção. Arbustos crescem nas trincas, revelando a presença de água, o que compromete sua estrutura.

desmonte 49

        

          Perplexos, lideranças comunitárias e milhares de moradores receberam a notícia de que o Prefeito João Agripino Dória Jr. sancionou projeto de lei 10/14, considerado “atentatório a segurança e a saúde pública”, que impõe ”parque” sobre o Minhocão.

          O famigerado viaduto passa no meio de prédios residenciais e foi imposto pelo ex-Prefeito Paulo Maluf, causando uma série de problemas aos milhares de moradores e degradou quatro importantes bairros da região central da terceira maio metrópole do mundo.

          O artigo 132 do Código Penal caracteriza como “crime colocar pessoas em local com risco de vida e à saúde. O Minhocão está a 8 metros de altura e não tem as mínimas condições de segurança para os incautos, conforme Laudo Técnico do Comando do Corpo de Bombeiros.

          Sem falar na falta de segurança, invasão de privacidade e incomodidade insuportável aos mais de 230 mil moradores-eleitores, dos 4 bairros por onde passa o monstrengo.

          Em dois Ofícios ao Prefeito, as lideranças comunitárias, o Pároco da Matriz de Santa Cecília, Conego Alfredo Nascimento Lima, Síndicos e moradores, solicitaram um encontro ao Prefeito João Agripino Dória Jr., para serem democraticamente ouvidos. Lamentavelmente isso não ocorreu. Tal comportamento não compromete assim a imagem de “gestor” democrático?

PREFEITO JOÃO AGRIPINO DÓRIA Jr DISCRIMINA LIDERANÇAS E MORADORES

O Cônego Alfredo Nascimento Lima, Pároco da Igreja Matriz de Santa Cecília, juntamente com associações e lideranças comunitárias enviou Ofício ao Prefeito João Agripino Dória Jr., solicitando que “o referido PL 10/14 ( parque sobre o Minhocão ) seja vetado“, por ser “atentatório a saúde e segurança pública“, “invasão de privacidade e incomodidade insuportável” aos mais de 230 mil moradores.

Solicita ser atendido, juntamente com as lideranças comunitárias, para democraticamente serem ouvidos. E conclui apelando ao “seu sentimento cristão em se compadecer do sofrimento desses milhares de moradores“. O Prefeito João Agripino Dória Jr. sequer acusou recebimento do mencionado Ofício e em atitude de discriminação, não atendeu ao democrático pedido de ouvir a comunidade. 

Em nome dos 4 Consegs – Conselho de Segurança – da região central, o Dr. José Geraldo Santos Oliveira, Presidente do Conseg Santa Cecília, enviou carta Prefeito João Agripino Dória Jr. com idêntica solicitação. Novamente o alcaide sequer acusou recebimento do documento e não se dignou a democráticamente atender e ouvir as lideranças da área central.

Dória Oficio 2265

Doria Oficio PL 10 14

Curti(0)Não Curti(0)

Link permanente para este artigo: http://www.minhocao.net.br/?p=40758

Posts mais antigos «